terça-feira, 24 de agosto de 2010

Bebendo-me

Bebo, escrevo
e vomito palavras.
Num drink a outro
criam-se conspirações,
reflexões, desafetos,
risos maléficos,
meditações em ioga
e volto ao líquido,
meu grande amigo
e verdadeiro elixir de prazer.
Assim, os vocábulos aventuram-se
e a Boa Nova se constrói
ao lapidar as curvas generosas da paixão
e as linhas estonteantes de seu magnetismo
por cada registro.

4 comentários:

  1. ...então brindemos as letras formadas palavras...poesias...Saúde!!!!
    Bjks doce no ♥.

    ResponderExcluir
  2. Composição ébria de se ler...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Bela relação semântica! Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Deixa-me lamber sua taça de emoção, fazendo excitar os caminhos que percorre as veias naus do labirinto do prazer, ao ler senti um dose de vontade que há tempos incontidas no âmago do meu ser, há um grito em silêncio ...querendo expurgar toda volúpia do bel prazer da vida ...

    Não penso o que deixo aqui, mas tu fazes fluir ...

    um beijo e mil lambidas.....rs *.*

    ResponderExcluir