sábado, 12 de junho de 2010

O palhaço

Hoje algo inusitado aconteceu: ganhei meu primeiro presente de um palhaço. Literalmente, palhaço fiquei com o nariz vermelho. Parecia outra simbiose entremeada de palhaçada e seriedade. Não houve risos, mas sorrisos. Quem será que se encontra por trás daquela pintura, daquela maquiagem, daquela máscara? Como aconteceu tamanho malabarismo em volta de mim? Não sei. Só sei que não houve o pranto de Vinícius nem o soneto de construção engendrado por ele. E o fantástico se fez e se construiu em alegria e risos após a completa palhaçada formada e crescida, aos poucos, após análises dos acontecimentos. Viva o presente! Viva o palhaço que há em mim e em ti!

2 comentários:

  1. Olá!

    É Tio Jander como é que pode uma simples atitude, no fim da noite, causar tantos questionamentos? A cena foi, realmente, inusitada! O melhor foi ver a sua face diante daquilo! Seu primeiro presente!!! (Não precisamos dizer de quê...)Ah, MEUS PARABÉNS E MUITOS ANINHOS DE VIDA!!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. A musa da Controvérsia27 de junho de 2010 22:45

    Pude ouvir até a sua gargalhada, que cá entre nós, eu amo !

    ResponderExcluir