segunda-feira, 14 de março de 2011

Mimeses

Reproduzirei a realidade
por meio da retórica,
imitarei o amor,
contemplarei o belo,
serpentearei a poesia
através da graça,
dos devaneios loucos,
percebida pelos sentidos.
Liberto todas as emoções,
verdadeira catarse se transforma
para ludibriar minhas sinestesias.
Será que encontro minha outra face
escondida em algum espelho?
Ausências aparentes
hão de transformar em presença.
Desde o advento do mundo poético
há uma tendência clara em privilegiar-se
o aspecto performativo
escondido dentro dos corações.
Assim, se constrói minha
atividade cênica,
minha música,
minhas vontades de modelar
e de imitar o que se encontra
no mundo artístico
de minhas loucuras quase funestas.

6 comentários:

  1. Olá poeta
    Parabéns pelo seu dia, e obrigado por nos presentear com poemas não belos.
    Bjão

    ResponderExcluir
  2. Poeta...

    Passo para lhe agradecer pelas lindas poesias que compartilha...


    Zil

    ResponderExcluir
  3. Jasanf...

    Minha outra face não é refletida em espelhos...ela esta por ai em muitos lugares e com nomes diferentes!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Doces loucuras quase funestas que me encantam e aprazem.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderExcluir
  5. Existe arte sem loucura? Abração.

    ResponderExcluir
  6. Jasanf, querido,

    Belíssimo! O poeta imita o amor e a dor.
    Bj e boa semana

    ResponderExcluir