sexta-feira, 21 de maio de 2010

Saudades: uma odisséia

Oh! Que saudades tenho da tua face,
da beleza ardente do seu coração,
da sinceridade amiga,
da divina ilusão.
Oh! Como são numerosos
os laços de amor,
da odisséia que fazemos
no espaço sideral.

Um comentário:

  1. A musa da Controvérsia27 de maio de 2010 20:51

    Falar do passado se torna uma coisa tão necessária, que não podemos dizer que não está presente. Breve e direto.

    ResponderExcluir