sábado, 9 de abril de 2011

Eu vou jogar as cordas

Quando o vento sopra a tempestade
procure segurar na barra
ao sentir o cheiro do mar
veja as ondas brincando com a atmosfera.


Prometo ser teu marinheiro,
vou te levar para o meu barco
e como capitão
navegaremos pelo oceano.


Velas subirão,
gaivotas voarão ao redor.
Tome cuidado para não naufragar
em emoções absortas.


Aos poucos veremos o balé de cardumes
dançando, bailando,
balançando em grande tom.
E a magia se refaz na água salgada...

10 comentários:

  1. Difícil não naufragar em emoções diante de tanta paixão.
    Belo poema. Adoro poemas sobre o mar. Adoro o mar.

    ResponderExcluir
  2. A magia da imensidão oceânica e todos os sentimentos que ela nos desperta.
    Magnifico poema.
    bj
    oa.s

    ResponderExcluir
  3. que gostoso de ler e sentir..
    belo domingo querido poeta..

    ResponderExcluir
  4. O mar é um verso infindável, é um poema que se constroi e se aprofunda em seus azuis caleidoscópicos!

    abçs

    Betha

    ResponderExcluir
  5. Água salgada, água sagrada
    Beijo molhado, gesto malhado!
    Horizonte ilimitado, coração apaixonado!!

    Linda poesia!!! Parabéns! bjs

    ResponderExcluir
  6. Nossa muito lindo esse poema, parabens, gostei de verdade!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Acompanho seu blog já algum tempo. Adorei essa sua ultima postagem, me fez lembrar dos amores que tive e que partiram deixando saudades...
    Parabéns pelas suas postagens.
    Aproveito para convidá-lo a passar pelo meu blog. http://eusouumafenix.blogspot.com/
    Um grande abraço,

    Claudia

    ResponderExcluir
  8. E lá vamos nós nas ondas da vida.
    Bom domingo!
    Carla

    ResponderExcluir
  9. Oi, estou sempre acompanhando seu blog. Tive problema com meus seguidores. Caso seja seguidor, por gentileza, siga novamente. Caso não, dê uma passadinha no meu blog:

    http://deletrasasentimentos.blogspot.com/

    ResponderExcluir